googleA justiça canadense decidiu que o Google feriu a privacidade de uma mulher que estava sentada em frente à sua própria casa usando uma roupa decotada ao fotografá-la e publicar a imagem no Street View. Como resultado, a empresa deverá pagar uma indenização de US$ 2.250 e um adicional de US$ 159 por custos jurídicos.
A decisão diz que Maria Pia Grillo, a mulher fotografada pelo Google, sofreu um choque e foi constrangida pelo fato de encontrar sua imagem ao procurar a sua casa no serviço ainda em 2009, embora só tenha acionado o Google dois anos depois. Na foto, ela se inclina para a frente com o decote à mostra.
mulhergoogle
As câmeras utilizadas pelo Google normalmente borram rostos das pessoas, justamente para proteger sua privacidade. No entanto, como Grillo estava sentada em frente a sua própria casa e seu corpo foi exposto, havia informação suficiente para identificá-la e para um possível perseguidor ir até sua residência. O pedido inicial de indenização era de US$ 45 mil, por danos emocionais, o que inclui depressão e piadas entre colegas de trabalho.
Depois de dois anos, o Google concordou em borrar uma parte maior da imagem para proteger Grillo, mas, inicialmente, rejeitou um acordo financeiro. Segundo a empresa, ela estava em um local público, e, portanto, não havia relação entre o Street View e seus problemas emocionais.
O juiz concordou com o Google afirmando que o caso não parecia estar ligado aos problemas emocionais de Maria Grillo. No entanto, rejeitou a argumentação falando em “lugar público”, afirmando que as pessoas não deixam de ter direito à privacidade apenas por estar em um lugar onde outras pessoas podem vê-las.

Links Mais Usados